quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Escuro


Vc tem medo do escuro?
Tem medo dos montros?
Tem medo das sombras?
Tem medo dos choros?
Tem medo dos sonhos?
Tem medo da dor?
Da morte?
Ou do rancor?

Oque temes?
Temeria ele mais a vc?
Nunca se sabe oque n~ se sabe.
Mais saberia vc?
Saberia ao menos
Oque na sombra se esconde
Se de choro e sonhos
N~ tivesse fome.

Saberia ao menos
Oue o monstro das sombra
N~ se esconde de baixo da cama
Mais sim na fonte.
Sabeia ao menos que a dor que sentes
N~ e rancor,
Nem dor,
Nem morte...
E amor.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Voz


Se te ouso es por que tua voz me cala,
ou talvez por que n~ aja coisa
mais linda e sonora.

Se te ouso es por que te amo,
e minha pobre alma e so sua
te ouviria por uma aterna vida,
pois minha vida e tua.

Se te ouso tudo posso,
os ceus n~ sao limite
e nem todo o mal desse mundo,
poderia me fazer parar de te escultar.

domingo, 26 de outubro de 2008

Encontro: minhas necessidades e sonhos.


Eu procuro poesia na vida.
Eu procuro arte.
Eu procuro dia.
Eu procuro noite.
Eu procuro vida.

Tambem procuro, quem diria...
Dores e amores
Fores e sabores
Rostos e cores
Tudo,tudo,tudo...
Tudo nessa vida

Tudo de bom
Tudo de ruim

Tudo de tudo
E tudo de nada
E nada de tudo.

Eu desenho
Eu canto
Eu danco
Eu falo,
E mais que tudo eu ouso.

Eu procuro as sobras pequenas e serenas
Eu procuro a mais longa das vidas pequenas
Eu me vejo sendo Lorena, Vanessa, Susana e leila
Eu me vejo sendo eu mesma,
eu me vejo sendo pequena.

Eu


Eu me achei em um novo mundo, um novo tempo e pensemento.
Eu me achei diferente em mim e de mim mesma.
Eu me achei diferente em pensamento, em vida, em morte.

Eu me vi, sem me enchergar, e sem enchergar me vi.
Eu me perdi me encontrando, e me encontrei perdida.
Eu mudei sendo a mesma, e sou a mesma agora sem mudar.

Eu me escondi e me achei escondida, Eu vi luz nas trevas, e trevas na luz.
Eu me confundi, esclarecendo a mim mesma.
Eu vi e ouvi, cheirei e provei, ate mesmo toquei.

E entao o fim de tudo chegou,
E no fim descobri que tudo era nada, e nada era tudo.
E mesmo que diferensa n~ fasa, isso tudo muda tudo.